domingo, 20 de maio de 2018

Onde está o príncipe encantado das mulheres do século XXI?


Quando era criança, minha mãe brincava que eu e minha irmã mais nova estávamos prometidas aos príncipes William e Harry, respectivamente (risos). Esta semana houve o casamento do segundo deles, que é um pouco mais velho do que eu, e lembrei deste período de infância, das brincadeiras sobre o príncipe encantado que chegaria em um cavalo branco e “salvaria” minha vida, e, em seguida, pensei nas conversas com minhas grandes amigas atualmente.
Os sonhos mudaram muito. Cada uma tem visão diferente de como seria o “príncipe”, o “homem ideal”: altura, idade, peso, profissão... Mas todos estes príncipes imaginários têm algumas coisas em comum. Estamos em 2018. Meu grupo de amigas e leitoras é formado, em sua maioria, por mulheres acima de 30 anos, inteligentes, bem sucedidas profissionalmente ou a caminho de se tornarem, equilibradas e espiritualizadas.
Somos felizes e, principalmente: nenhuma de nós precisa ser salva! Se ainda não temos a casa dos sonhos, ou fizemos a viagem dos sonhos, estamos a caminho de conseguir. Somos excelentes profissionais. Temos amigos incríveis, que são parceiros para todas as horas. Mas também gostamos de ficar em alguns momentos sozinhas, porque somos excelentes companhia pra nós mesmas. Então, onde entra o “príncipe encantado” nesta história?
Bem, para começar, ele precisa ser um homem feliz, que corre atrás dos próprios sonhos. Ele precisa entender que também somos mulheres felizes e independentes e que se escolhermos estar com eles é porque eles são importantes pra nós, mas não uma necessidade. Quando você precisa de uma pessoa, você está apegada a ela egoisticamente, e não resta espaço para amá-la. Se você precisa da pessoa, você não a ama, usa para tapar um buraco que existe dentro de você!
Ele deve entender que está chegando para somar amor, harmonia, paz, sorrisos, aprendizado... Somente para somar. Já tivemos nossas experiências, aventuras... Investimos muito tempo, dinheiro, lágrimas, sorrisos para nos tornarmos as pessoas que somos hoje. Então, somente uma pessoa que também se dedicou a se conhecer, entender e melhorar poderá entender e ser um companheiro nesta que, para nós, é a melhor etapa de nossas vidas.
Ser sincero é muito importante, assim como saber o que quer! Não gostamos de jogos. Deve entender também que, assim como ele, se sentirmos vontade de fazer amor, vamos telefonar e não há problema nenhum nisso. Ele deve gostar das nossas amigas, dos nossos familiares, porque são pessoas que fazem parte da nossa vida desde muito, muito antes dele.
O nosso “príncipe” deve nos admirar, em todos os sentidos porque nenhuma mulher como nós se envolve com alguém que não admira também. Respeito, força, foco também estão na lista. Porque também somos assim e por isso chegamos onde estamos. Adoramos carinho, atenção, cuidado. E pode ter certeza de que ele receberá tudo em igual proporção, porque somos feitas de amor.
Em resumo, não estamos buscando por perfeição: buscamos alguém para somar alegria, admiração, respeito, atenção e amor às nossas vidas. E é isso que temos à oferecer. Podemos ter sonhos diferentes, culturas diferentes... Mas o importante é ter os mesmos princípios básicos e, é claro, a famosa química, afinidade.
Então, se você não está feliz ou não se sente bem resolvido, invista em si mesmo e melhore. Só sendo muito bom para si mesmo você poderá ser bom para os outros e ser a princesa ou príncipe encantado de alguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário